E se o seu problema com dinheiro não for o dinheiro?

Conheça a história do Tiago Schmitz

O dono da Charlie Brownie quitou uma dívida de R$ 30 mil, organizou suas finanças e criou uma empresa de sucesso. O primeiro passo foi encontrar uma propósito que fizesse o esforço valer a pena. Você tem problema com dinheiro? Será?

Carmen

Carmen

Autora do Papo de Grana

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp

Vamos lá, abra seu coração: quantas vezes você já botou a cabeça no travesseiro e ficou sem conseguir dormir pensando na fatura do cartão de crédito? Você acha que você tem problema com dinheiro? 

Quantas vezes você já chegou ao fim do mês sentindo aquela angústia por não saber como vai pagar as contas? A dor chega a ser física, como se fosse um aperto no peito. 

Em quantas vezes você já parcelou algo que não tinha dinheiro pra pagar, e depois se arrependeu? Ficou remoendo, roendo as unhas e se martirizando? 

Você ouve de tudo que é lado que o seu problema é a forma como você lida com o dinheiro. Se sente irresponsável, fora de controle, impotente. A gente sabe bem. 

Aí te perguntamos: e se não for só sobre dinheiro? E se, no fundo, o que está atrapalhando a sua relação com a grana for outra coisa? Talvez, seja algo que você sequer percebe. Calma, você não precisa saber a resposta agora.

Mas, se você acha que essa pergunta faz sentido, então você precisa conhecer a história de Tiago Schmitz.

A história de muitos de nós 

Tiago, hoje, tem 35 anos. É sonhador, empreendedor e dono da Charlie Brownie. O que seu negócio tem de doce (literalmente), sua história teve de amarga. E não foi pouco. Quando iniciou seu empreendimento, Tiago estava com uma dívida de R$ 30.000,00

Sim. T r i n t a  m i l r e a i s . 

Essa situação foi proveniente de uma série de coisas da vida de Tiago. Entre elas, a forma como ele não foi ensinado a lidar com dinheiro e administrar seus recursos. Veja bem: em geral, não temos nenhuma educação financeira. Somos simplesmente jogados na vida adulta.

Caímos de para-quedas, só que sem a amenização do impacto. Isso causa uma ansiedade e preocupação tão fortes que nos consome. Aí o que fazemos? Exatamente o que Tiago fez: compensamos no consumo. E quanto mais problemas emocionais e preocupações, mais ele gastava, se afundando em um ciclo sem fim. O resultado disso foi chegar aos 30 anos com a tal dívida de R$ 30.000,00. 

A ironia do número seria cômica se não fosse trágica. 

Mas essa dívida foi proveniente de outra dívida que Tiago tinha consigo mesmo: a dívida por ser gay. O jovem não se aceitava e se cobrava por isso. Se culpava. Sentia, do fundo do coração, que jamais teria futuro. “Ser gay não é normal”, “ser gay é errado”, ele ouvia. E absorvia. Até que acreditou. Então, qual o sentido de pensar em um futuro, se ele não existe? De pensar em guardar dinheiro para uma família, se você nem sequer merece ter uma?

Esses eram questionamentos, além do problema com dinheiro, que permeavam a mente de Tiago, levando-o a torrar toda grana que tinha. O saldo foi negativo não apenas em números, resultando em uma depressão profunda. Desespero, desamparo e desesperança foram os sentimentos que fizeram Tiago a perceber que precisava de terapia. 

A partir disso, as coisas começaram a clarear. Ele descobriu quem era e, com uma mudança de perspectiva e postura diante à vida, passou a trocar tudo de lugar.

Decidiu que não queria mais viver como vivia, nem trabalhar em lugares que não se sentia bem, fazendo algo que não acreditava. Suas correntes se romperam. A luz no fim do túnel ficou tão forte que, logo, Tiago não se via mais em um túnel. Foi aí que passou a projetar a Charlie Brownie como algo que realmente queria concretizar na prática. Um projeto que ele de fato acreditava e via sentido. Decidiu apostar tudo o que tinha, e esse seu sonho virou um objetivo. A inspiração da ideia veio lá de trás da sua história, da relação que tinha com a sua Vó Mila. Ela costumava fazer docinhos pra família, e Tiago acompanhava na produção quando criança. Conforme foi crescendo, foi virando um auxiliar no processo. Tudo na Charlie tem suas raízes nessa relação de amor entre e os dois, e do amor dos dois por doces. 

Confiar em si mesmo não tem preço 

Atualmente, o empreendedor conta com pessoas maravilhosas trabalhando junto a ele, possuindo duas lojas físicas em Porto Alegre: a Charlie Brownie, e o Charlie Pub. Seus planos para o futuro (que, agora, ele enxerga) incluem expandir o negócio e levar a Charlie para outras cidades. Seu objetivo pessoal, para daqui a um tempo, é ir morar em Amsterdã. É a cidade onde Tiago se vê no mundo, por representar a liberdade e diversidade.

Ah, e lembra da dívida de 30 mil? Foi toda paga, com organização e planejamento. Em 2015, ele negociou para pagar em 12 meses e limpar seu nome para voltar a ter crédito. Lidando com as finanças da empresa, Tiago passou a ver a importância de cuidar das pessoais.

Embora tenha aprendido “na marra”, a sua relação com o dinheiro é bem consciente hoje em dia! Ele destaca que não acredita em uma vida financeira tranquila sem uma vida emocional estável. O externo é apenas um reflexo do interno. Primeiro, temos que resolver o que está na nossa cabeça: os desafios do dia a dia. Relação de amor entre você e o dinheiro só vem depois da relação de amor com você mesmo.

Resolvendo isso, a vida financeira se encaminha junto, como consequência. Pois quando você se sente bem consigo e empolgado com a vida, você passa valorizar e querer projetar, planejar e organizar as coisas pro seu futuro. Aí fica tudo mais leve, né? E, independente do quão pesado possa estar hoje, taí uma prova de que a superação é possível. 

O primeiro passo é confiar em si. 

E você já tem nosso voto de confiança. 

Problema com dinheiro? Resolvido.

Vamos juntos superar os próximos desafios?  

Um forte abraço e até o próximo texto! ♥

Compartilhe este texto com seus amigxs!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp